A Cortiça

Um produto da natureza

A cortiça é a casca do sobreiro, 100% natural.

A Cortiça é Retirada do Sobreiro de nove em nove anos

O sobreiro demora entre 25 a 30 anos até poder ser retirada a cortiça pela primeira vez, esta cortiça têm a designação de Cortiça Virgem, no segundo descortiçamento passado os nove anos esta têm a designação de Secundeira, a partir do terceiro descortiçamento e já passados sensivelmente 43 ou 48 anos a cortiça passa a ser denominada de Cortiça Amadia, têm assim as características e qualidade para a produção de rolhas naturais.

A extração é feita por profissionais especializados, sempre entre 15 de maio e o final de agosto, estando sempre condicionada as características dos terrenos.

Num terreno muito denso em mato ou em terras de má qualidade, esta cortiça devera ser retirada logo no primeiro mês.

Em terrenos de melhor qualidade e com terras em que predomina a areia, a extração pode aguardar para os últimos períodos extração.

Contudo os meses preferenciais para a extração são os de Junho e Julho, pois é durante estes meses que a árvore se encontra na fase mais ativa do crescimento e se torna mais fácil descortiçá-la sem ferir o tronco.

Com a cortiça pode-se produzir uma infinidade de produtos, desde os tradicionais, como as rolhas de cortiça natural para se vedar as garrafas de vinho, espumantes, champanhe, conhaque, aos mais inovadores e inesperados, como a vestuário, mobiliário e até a aplicação no fabrico de aviões.

O principal produto continua a ser a rolha natural, pois é sem dúvida a que se destaca mais na aplicação da cortiça. É este produto que mantém o valor da comercialização da cortiça, contudo nem toda a cortiça têm os requisitos necessários para se transformar numa rolha para servir de vedante natural.

Portugal é o maior produtor de cortiça, tendo a maior produção mundial de cortiça.